A bordo de um Kia Sorento, amigos percorrem 7 mil km em expedição pela América do Sul

Visuais paradisíacos, boas companhias e Kia Sorento: foi essa combinação infalível que deu o tom da aventura de treze dias realizada pelos amigos Diego Vargas, Erivelton Schuh, Guilherme Tibola, Joel Rodrigues, José Lacchini, Rangel Daneli e Rafael Bilibio. Partindo das cidades de Carazinho e Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, o grupo percorreu mais de sete mil quilômetros rumo à montanha Huayna Potosí, na Bolívia. Batizada de “Expedição Huayna”, a experiência despertou o espírito aventureiro do grupo a partir de uma simples constatação: o caminho pode ser ainda mais impressionante que o destino final.

 

Cruzando as fronteiras do Brasil, da Argentina, do Peru, do Chile e da Bolívia, os amigos gaúchos se depararam com pontos turísticos conhecidos da América do Sul, como as Montanhas Coloridas e o Lago Titicaca, no Peru, o Deserto do Atacama, no Chile, e o Salar de Uyuni, na Bolívia. No entanto, para além dos pontos que estampam de cartões postais a posts no Instagram, foram as belezas simples – e ao mesmo tempo complexas – das estradas que surpreenderam os aventureiros. “Todos os lugares mais conhecidos são lindos, mas os caminhos para chegar até eles são ainda mais incríveis. Se tivéssemos optado por uma experiência convencional, de avião, não teríamos percorrido a melhor parte da viagem”, ressalta o empresário Rafael Bilibio.

backgroundImageAlt

Sem abrir mão do conforto

Para viabilizar os treze dias de aventura, os amigos precisavam de veículos que oferecessem três itens primordiais: potência, espaço e conforto. Não foi à toa que o Kia Sorento do contador Guilherme Tibola foi um dos escolhidos para acompanhar a expedição. “Sempre gostei de carros mais altos e espaçosos, mas que também oferecem versatilidade. Já tive outro SUV, mas igual ao Sorento não há”, destaca.

 

Embora já tivesse feito outras viagens com o Kia, foi na “Expedição Huayna” que Guilherme explorou todo o desempenho do veículo. “Para uma viagem longa como essa, passando por relevos acidentados e tão distintos, precisávamos de muito conforto e segurança. Confesso que fiquei impressionado com o desempenho do Sorento, até mesmo a cinco mil metros de altitude e com a pista coberta de gelo. Tudo isso com consumo bastante satisfatório e espaço de sobra para nossas bagagens”, enfatiza o proprietário do SUV.

backgroundImageAlt

Do começo ao fim

Como a expedição “só acaba quando termina”, Guilherme revela que a experiência só trouxe aprendizados e lembranças inesquecíveis. “Quando voltamos ao Brasil, levei o Sorento para a revisão. Ele estava inteiro; sequer precisei trocar uma peça”, afirma. “Nunca imaginei colocar meu carro em situações tão extremas. Meu Kia foi muito além do que imaginava e me trouxe ainda mais satisfação como proprietário”.

 

Os principais registros da viagem estão sendo publicados nos perfis dos aventureiros no Instagram. É só procurar a hashtag #expedicaohuayna e se impressionar com as imagens!

backgroundImageAlt